Xiaomi começa a bloquear bootloader de smartphones com atualização da MIUI 7


 Que Xiaomi é uma das maiores fabricantes de smartphones na China não chega a ser uma novidade. Mesmo tendo perdido espaço para a Huawei em 2015, a companhia segue firme lançando vários novos aparelhos. No entanto, Xiaomi nem sempre foi uma queridinha da comunidade de desenvolvedores, nem dos defensores do software livre e open source (FOSS) por causa de várias supostas violações da GPLv2. E agora acaba de informar uma mudança polêmica envolvendo sua versão radicalmente modificada do Android.
 De acordo com comunicado, Xiaomi está bloqueando o bootloader dos seus smartphones com o lançamento de uma atualização da MIUI 7. O primeiro a ser alvo dessa mudança é o Redmi Note 3, que teve uma versão turbinada com Snapdragon 650 lançada na última semana. A pior parte da notícia é que Xiaomi informou que esta mudança também acontecerá em outros aparelhos da empresa, sendo uma transição gradual, e os Mi 4C e Redmi Note Pro serão os próximos.
 Com o travamento do bootloader, o usuário não poderá mais realizar alterações no sistema, como instalar uma ROM customizada como a CyanogenMod, por exemplo. De acordo com Xiaomi, essa mudança foi necessária para garantir a segurança dos dados do usuário. No entanto, parece que a notícia não foi bem recebida pelos clientes da empresa que estão em fúria nos fóruns da MIUI pela internet reclamando e questionando tal mudança dita como “desnecessária”.
 A empresa vem tentando acalmar os ânimos diante de tantas reclamações ao informar que ainda é possível desbloquear o bootloader, mas é necessário fazer um pedido à empresa. E o pior disso tudo é que há um longo prazo para que a chave de desbloqueio seja enviada a cada cliente, com prazo médio de espera de 21 dias! Enquanto a Motorola envia o código de desbloqueio do bootloader na mesma hora que recebe uma solicitação do usuário, por exemplo.
 Outro detalhe que está irritando os usuários é que a mudança está afetando smartphones que foram lançados com bootloader desbloqueado. Se a Xiaomi tivesse decidido iniciar essa mudança com o Redmi Note 3 Pro lançado recentemente, até seria mais aceitável receber o produto com o bootloader bloqueado já de fábrica. Enquanto isso, quem tiver algum aparelho da Xiaomi é bom ir se preparando para ficar um bom tempo sem poder modificar o sistema, até que tenha o seu código de desbloqueio enviado.

Esse perfil e de propriedade de glaucio (glau), mais e ultilizado pela equipe que trabalha no site. Twitter: @tecworldk. Whats: (+55) 11-958602911 (Duvidas).

Compartilhe e Divulgue o Site! :)

Inscreva-se e Receba todas as Notícias no seu Email.

Postagens Relacionadas

Comente, Pergunte, Avalie. Estamos pronto pra Responder sua Duvida.